#1. Os Pobres de espírito - Reino dos Céus. Esse é o DNA da bem-aventurança; a raiz de uma vida bem sucedida com Jesus. Se compreendermos bem esse aspecto, compreendemos todo o resto. Ele é a semente de onde vai brotar nosso caráter espiritual, e é da qualidade desta semente que depende a qualidade do nosso caráter. O termo POBRE usado por Jesus neste texto não fala de uma pobreza circunstancial ou relativa a outros, mais pobres ou mais ricos. De modo que seria uma pobreza mais sentimental, que depende das comparações e do ambiente de referência adotado. Ele está falando de MISÉRIA; de uma profunda e absoluta miséria espiritual.

O termo apropriado seria: Bem-aventurados os miseravelmente pobres. É a convicção da miséria humana, e de uma miséria absoluta. É QUEBRANTAMENTO. Algo que não depende dos sentimentos, circunstâncias ou impressões – é um fato!É a constatação da nossa total dependência da misericórdia de Deus. É quando estamos diante da Sua Santidade, e nos damos conta do que o pecado fez em nós. A certeza de que não existe a menor, a mais ínfima raiz de esperança no homem pelo homem; em nossa própria justiça ou capacidade de ajudar a nós mesmos em nossas necessidades. Diante de uma Santidade Absoluta, uma dependência também absoluta. Ou Deus faz por nós, ou estamos irremediavelmente destinados à morte.

Não há como ter qualquer expectativa em nós mesmos, ou em quem quer que seja. Neste momento, nós entendemos que não há acepção de pessoas. Aquelas poucas qualidades que conseguíamos ver em nós mesmos, e que nos fazia pensar e sentir que éramos melhores do que os outros, ou então, que tínhamos direito a alguma coisa, ou a um tratamento diferenciado. Pois, quando colocamos todas elas diante da Glória e Santidade de Deus, elas desfazem pelo fogo, e desaparecem como fumaça. Desta compreensão depende todas as coisas, em nossa relação com Deus, e as pessoas. Se a nossa compreensão não é de uma miséria absoluta, então nossa dependência não será, também, absoluta.

Tornaremos tudo na vida relativo, e contemporizaremos todas as coisas. Sempre com o risco de nos decepcionarmos com pessoas, situações, e mesmo com Deus. Onde não há essa convicção, há ansiedade, pois ela é o momento seguinte da presunção. É o fruto de expectativas e avaliações mal fundamentadas. A ansiedade é o resultado de uma capacidade ou condição presumida, mas não real. É a tentativa de administrar o que não pode ser administrado por nós; e o esforço de tentar controlar o que não depende de nós.

O próximo post será sobre “Os que Choram”. Confiram...

0 Comentários - AQUI:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comentem pelo Facebook

Paninho do AMOR

Click e Confiram D+

Segue ai...

Curta no Facebook

Amigos do Blog

Postagens populares

Twittes

Google+ Followers

Blog que escrevo

Pesquisar este blog

Siga-me por Email

Marcadores

@provérbios (27) #pronto falei (304) #Provocações (283) #Word (55) Administração (58) Amor (296) Arte (270) Atitude (561) Bíblia (99) Boas notícias (118) Contra Cultura (165) cristianismo inteligente (546) Curiosidade (106) Dicas (49) Estudo (83) Familia (74) Fundamentos (313) GRAÇA (140) humor (87) Igreja (144) imagem que vale post (33) Juventude (61) Livros (17) Masculinidade (41) Missão integral (103) modelos (171) Nooma (8) Opinião (313) Oração (38) Polêmica (94) Politica (53) Protesto (138) Questionamentos (492) Recomendo (131) Relacionamento (285) relevante (335) Religião (69) Solidariedade (58) Teologia (169) Videos (386)

Blog Arquivos

Minha lista de blogs

Juliano Fabricio Ferreira. Tecnologia do Blogger.

Visão Mundial - Conheça

Visitantes

Contato:

Juliano Fabricio Ferreira

jucafe2@yahoo.com.br

Uberlândia - MG - 34 99149-5443

Networkedblogs - Siga

Recomendações