Poucas pessoas se lembram das mulheres da Igreja porque a história em geral, e a da Igreja em particular, fixa sua atenção preferentemente nos grandes acontecimentos que «mudaram» a história (guerras, reinados, dirigentes), enquanto se costumam esquecer a vida cotidiana, os fatos que dão como resultado a existência de cada dia. Isso significa, em concreto, que a história da Igreja costuma ser uma história dos papas, bispos, dirigentes, pastores, apóstolos, santos e teólogos que «marcaram» ou não a vida da Igreja, ficando no esquecimento, ou na desvalorização, as outras pessoas, em primeiro lugar os leigos, e muito mais se são mulheres, por suas reduzidas possibilidades de influência social.

Só algumas mulheres que tiveram um comportamento especialmente destacado em algum campo puderam passar à memória da posteridade. A mulher sempre foi marginalizada no decorrer dos tempos, inclusive no aspecto que diz respeito à submissão a igreja, isso nunca foi tão bem resolvida. Segue abaixo algumas reflexões relevantes a respeito do que é ou não é submissão:

1) Simplesmente, ou apenas, uma questão conjugal - Submissão é desígnio de Deus. É um reflexo da interação dentro da Trindade. Seja solteiro ou casado, submissão é uma questão central do coração que revela a dependência em relação a Deus. Para uma esposa, a submissão demonstra sua vontade de ceder à liderança ao marido em obediência e na crença da aliança de Deus com ela.

2) Degradante - As mulheres têm sido levadas a acreditar que submissão é de alguma forma, humilhante. Ela não impõe qualquer tipo de situação secundária. A glória de Cristo foi submeter-se ao plano redentor de seu Pai para seus filhos, a glória da esposa é submeter-se ao plano de Deus de provisão e proteção para sua vida.

3) Silenciosa - Quando a submissão é retratada como uma opressão de censura, tanto o homem como a mulher perdem. Deus declarou que os homens necessitam de ajuda e deixá-los sem nossa oração penetrante é negá-los ajuda – exatamente aquilo que Deus disse que eles precisam. Submissão é usar sua voz para dizer palavras de graça e vigor na vida de seus maridos.

4) Medrosa - Uma mulher com medo terá dificuldades em submeter-se ao seu marido. Uma mulher medrosa não confia sua vida inteiramente a Deus, o que faz confiar seu futuro a um homem uma causa impossível. Submissão a Cristo é libertar-se do medo e descansar no caráter e provisão de Deus, entregues a ela através de seu marido.

5) Triste - Uma esposa triste é uma esposa ingrata. Como Jesus disse, submissão é: “Não seja feita a minha vontade, mas a tua.” Encontra-se grande alegria em fazer a vontade de Deus. Mesmo nas circunstâncias mais difíceis, a alegria borbulha em um coração grato a Deus por quem ele é o que ele dá.

6) Sufocante - É uma mentira quando as mulheres submissas são retratadas como se tivessem suas liberdades atrofiadas ou limitadas. Submissão é um lugar seguro onde estamos aptas a expressar nossos dons e criatividades para a glória de Deus e beneficiar nossos maridos.

7) Estúpida - Não é uma coisa estúpida a se fazer, nem te torna uma idiota. Não há nada do pensamento “Deixo meu cérebro do lado de fora (antes de entrar em casa) porque quem manda é meu marido” como o mundo muitas vezes retrata. Submissão é a resposta de uma mulher inteligente que conhece a Bíblia e acredita que o projeto de Deus é o melhor.

8) Fraca - Mulheres submissas não são fracas. Elas não se contentarão em ser apenas capachos. A postura de submissão é força, voluntariamente colocada abaixo da autoridade de outro. Nossos maridos precisam do nosso melhor. Nosso melhor é o poder que vem somente de Cristo, assim como nós dependemos d’Ele mesmo para refleti-lo a nossos maridos.

9) Automática - Um espírito submisso não é algo que aparece magicamente no momento que você diz “Eu aceito” lá no altar. É uma resposta do coração que toda mulher começa a cultivar quando primeiro nos submetemos a Cristo. Esposas terão as áreas de submissão de seus corações expostos a Deus. Uma esposa que se submete de bom grado e graciosamente a seu marido sempre terá o centro de seu coração submisso a Cristo.

10) Focada em si mesma - Um verdadeiro coração submisso não precisa se preocupar em cuidar de si mesmo. O coração submisso não pergunta: “O que eu vou receber?”, mas sim: “Como posso servir a Deus e meu marido com minha vida?”

OBS: Para DEUS a mulher e fundamental. Só pra ter uma idéia disso, foi uma jovem que teve o privilégio de carregar o REI dos REIS no seu ventre. Quer mais...
 
Juliano Fabricio (via)

1 Comentários - AQUI:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comentem pelo Facebook

Paninho do AMOR

Click e Confiram D+

Segue ai...

Curta no Facebook

Amigos do Blog

Postagens populares

Twittes

Google+ Followers

Blog que escrevo

Pesquisar este blog

Siga-me por Email

Marcadores

@provérbios (27) #pronto falei (304) #Provocações (283) #Word (55) Administração (58) Amor (296) Arte (270) Atitude (561) Bíblia (99) Boas notícias (118) Contra Cultura (165) cristianismo inteligente (546) Curiosidade (106) Dicas (49) Estudo (83) Familia (74) Fundamentos (313) GRAÇA (140) humor (87) Igreja (144) imagem que vale post (33) Juventude (61) Livros (17) Masculinidade (41) Missão integral (103) modelos (171) Nooma (8) Opinião (313) Oração (38) Polêmica (94) Politica (53) Protesto (138) Questionamentos (492) Recomendo (131) Relacionamento (285) relevante (335) Religião (69) Solidariedade (58) Teologia (169) Videos (386)

Blog Arquivos

Minha lista de blogs

Juliano Fabricio Ferreira. Tecnologia do Blogger.

Visão Mundial - Conheça

Visitantes

Contato:

Juliano Fabricio Ferreira

jucafe2@yahoo.com.br

Uberlândia - MG - 34 99149-5443

Networkedblogs - Siga

Recomendações