Até a Segunda Guerra Mundial, quando os regimes fascistas mostraram-se os "malvados", todos sabiam quem eram os inimigos. A guerra fria, e muito mais o seu fim, anularam por completo essa idéia dicotômica de bem ou mal.

O mundo cego e incapaz de compreender a Verdade, vê o inimigo em um homem com um alcorão, em um homem beijando outro homem, eu uma mulher abortando, em um traficante de animais ou em um drogado... enfim, vê seus inimigos naquilo que consideram como marginal à sociedade. Ainda que eles mesmos vivam à margem aos olhos de outros.

Acompanhando as tendências, como é peculiar da igreja cristã ocidental, aos poucos fomos perdendo a capacidade de reconhecer o inimigo. Ou ainda pior, copiamos o modelo de identificação de inimigo adotado pelo mundo. Olhamos como o mundo... superficialmente.

Mas a igreja cristã brasileira também tem visto o inimigo dentro da própria igreja. Não em sua própria congregação (às vezes sim). Mas na outra... a que abriu recentemente e está organizando um grande evento para arrebanhar ovelhas de outro pasto. Vê seu inimigo no outro pastor... não o que rouba e adultera (que nem poderia ser chamado pastor), mas no que "prega" com tanto vigor que junta as centenas filiados a outros partidos religiosos (igrejas).

O estado caótico da igreja brasileira só é acobertado pela própria igreja. Que mesmo cheia de pus e pedaços de carne podre pendurados por restos de pele, finge estar tudo em paz. Põe uma atadura suja e chama o próximo paciente da interminável fila.

O apóstolo Paulo escreveu aos irmãos na Galácia o seguinte: "Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes opõem-se um ao outro" (Gl 5.17).

A igreja (que não é Igreja) abandonou o Espírito Santo de Deus. Sobrou apenas a carne e a carne não luta contra ela mesma, o reino de satanás não está dividido contra si mesmo (Mt 12.26). Ela apenas busca outros recursos nela mesma para continuar a praticar tão somente suas obras.

No entanto, se clamassemos pelo Espírito de Deus, este geraria, primeiro em nós, intensa batalha pelas nossas mentes e corpos. Pois opõem-se totalmente as obras do pecado.

O que manteve o equilíbrio entre diferentes sistemas de governo e ideologias durante toda a História, foi a vigorosa oposição exercida por opostos. No momento em que um dos lados cedeu ou deu-se por vencido, a oposição não só deixou de existir, mas o que se seguiu foi o monopólio de um sistema ou ideologia.

A igreja brasileira voltou-se para luta da carne. Com armas da carne. Abandonou ou está apressadamente abandonando as armas espirituais, em parte, porque seus soldados mais novos já não as sabem mais manejar e os velhos estão cansados.

Ao abandonar aquele que se opõe a carne monopolizamos um único sistema. Um único guia para nossas almas. Damos todo poder a carne.

Ilustrador: Daniel Clós Cesar Blog: Anotações de um Cristão

0 Comentários - AQUI:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comentem pelo Facebook

Paninho do AMOR

Click e Confiram D+

Segue ai...

Curta no Facebook

Amigos do Blog

Postagens populares

Twittes

Google+ Followers

Blog que escrevo

Pesquisar este blog

Siga-me por Email

Marcadores

@provérbios (27) #pronto falei (304) #Provocações (283) #Word (55) Administração (58) Amor (298) Arte (270) Atitude (561) Bíblia (99) Boas notícias (118) Contra Cultura (165) cristianismo inteligente (546) Curiosidade (106) Dicas (49) Estudo (83) Familia (76) Fundamentos (313) GRAÇA (140) humor (87) Igreja (144) imagem que vale post (33) Juventude (61) Livros (17) Masculinidade (42) Missão integral (103) modelos (171) Nooma (8) Opinião (313) Oração (38) Polêmica (94) Politica (53) Protesto (138) Questionamentos (492) Recomendo (131) Relacionamento (287) relevante (335) Religião (69) Solidariedade (58) Teologia (169) Videos (386)

Blog Arquivos

Minha lista de blogs

Juliano Fabricio Ferreira. Tecnologia do Blogger.

Visão Mundial - Conheça

Visitantes

Contato:

Juliano Fabricio Ferreira

jucafe2@yahoo.com.br

Uberlândia - MG - 34 99149-5443

Networkedblogs - Siga

Recomendações