PEDRO E JUDAS

Dois discípulos que caminharam muito perto de Jesus durante três anos. Dois homens que viram, ouviram e experimentaram intensamente da presença de Cristo. Ambos pecaram. Ambos negaram e traíram Jesus. Um teve medo e escondeu-se. O outro o entregou para a morte. Um experimentou o arrependimento. O outro não. Um viveu inteiramente para Cristo. O outro tirou a própria vida.

O contraste entre as experiências destes homens nos leva a perceber como apenas arrependimento verdadeiro é capaz de nos devolver a alegria genuína quando encaramos nossos próprios pecados, intencionais ou não. Apenas o arrependimento abre as portas para uma vida nova porque inicia o processo de libertação da culpa e abre portas para recomeçar.

Pedro havia se esquecido de que dissera que jamais abandonaria Jesus. Mas, quando Jesus o olha nos olhos, ele cai em si: Então, voltando-se o Senhor, fixou os olhos em Pedro, e Pedro se lembrou da palavra do Senhor, como lhe dissera: Hoje, três vezes me negarás, antes de cantar o galo. Então, Pedro, saindo dali, chorou amargamente (Lucas 22.61-62). Este olhar foi como uma flecha. Ali, viu sua culpa. E seu arrependimento sincero em choro amargo iniciou um processo de transformação e liberdade. Seu choro abriu caminho para o recomeço de um relacionamento ainda mais profundo com Cristo (Jo 21.15-18). Pedro tornou-se outro. E mais tarde morreu pelo nome de Cristo e pelo evangelho.

Judas, ao contrário, ao ver que Jesus fora condenado, foi tomado de remorso. Também viu a sua culpa de frente, mas não se arrependeu. Amargurou-se. Sentiu-se oprimido e tirou a própria vida por não suportar a dor. Perdeu as chances de recomeçar. A culpa o levou ao fundo do abismo. Morreu e o único legado que deixou foi a mudança de significado de seu nome que se tornou sinônimo de traição.

A culpa é opressora. Esmaga a alma e rouba nossa sanidade. Produz ansiedade e medo. Leva-nos a fugir dos erros ou a viver em autopunição doentia. Só no arrependimento verdadeiro, voltando-se do pecado para Deus, é possível reencontrar liberdade e alegria porque faz-nos ver quem somos e de onde viemos e quem é que nos guia pelo caminho. O que encobre as suas transgressões jamais prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia (Provérbios 28.13).

Erramos muito. E erramos sempre. Há muitos tropeços em nossa caminhada. Muitas trapalhadas e escolhas equivocadas. Mas não precisamos ficar sem esperança: onde há arrependimento verdadeiro há espaço para o recomeço. O arrependimento — que confessa e deixa o pecado — nos livra da culpa e do peso de fardos que não precisamos mais levar, porque Cristo os levou e suportou por nós na cruz.

Juliano Fabricio via

0 Comentários - AQUI:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comentem pelo Facebook

Paninho do AMOR

Click e Confiram D+

Segue ai...

Curta no Facebook

Amigos do Blog

Postagens populares

Twittes

Google+ Followers

Blog que escrevo

Pesquisar este blog

Siga-me por Email

Marcadores

@provérbios (27) #pronto falei (304) #Provocações (283) #Word (55) Administração (58) Amor (298) Arte (270) Atitude (561) Bíblia (99) Boas notícias (118) Contra Cultura (165) cristianismo inteligente (546) Curiosidade (106) Dicas (49) Estudo (83) Familia (76) Fundamentos (313) GRAÇA (140) humor (87) Igreja (144) imagem que vale post (33) Juventude (61) Livros (17) Masculinidade (42) Missão integral (103) modelos (171) Nooma (8) Opinião (313) Oração (38) Polêmica (94) Politica (53) Protesto (138) Questionamentos (492) Recomendo (131) Relacionamento (287) relevante (335) Religião (69) Solidariedade (58) Teologia (169) Videos (386)

Blog Arquivos

Minha lista de blogs

Juliano Fabricio Ferreira. Tecnologia do Blogger.

Visão Mundial - Conheça

Visitantes

Contato:

Juliano Fabricio Ferreira

jucafe2@yahoo.com.br

Uberlândia - MG - 34 99149-5443

Networkedblogs - Siga

Recomendações