Um homem magro, baixinho, calvo, feio, sexagenário. Ele caminha a pé, descalço, numa viagem de 300 quilômetros a serem vencidos. Poderia ter feito a viagem de trem. 

Por razões só conhecidas do coração, preferiu ir a pé. 
Não queria chegar logo.

O importante não era o que todos pensavam que ele iria fazer, ao chegar; eram os sentimentos e pensamentos dos milhões que seguiam, nos sonhos, enquanto ele ia... 

Daqueles sentimentos e pensamentos um povo iria nascer. 

seu nome: Mahatma Gandhi.

O governo inglês havia proibido aos indianos de produzir o seu próprio sal, para obrigá-los a comprar dos dominadores aquilo que o mar oferecia como dádiva. Como os magos, o magro corpo solitário seguia uma estrela que apontava para o mar. 

E enquanto ele ia, o povo dizia: 
Que coragem! Que loucura! Conseguirá? 

Até que chegou ao destino proibido, e fez então o gesto fraco, prometido: tomou, na concha das mãos, um pouco de água do mar! 

Ah! Como os políticos se riam! Todo aquele suor e cansaço por causa daquela agüinha com sal... Olhavam para a água que se escoava entre os dedos e não viam o povo que nascia. Não era o sal que importava. Importava que os indianos encolhidos ganhassem coragem para lutar. E o povo inteiro tremeu, chorou, e se descobriu bonito, e ficou alegre, e virou guerreiro. 

É preciso ter alegria para saber guerrear... Povo, para existir, há de se sentir bonito. Há de ter sonhos, dizia Santo Agostinho. Há de marchar com a banda, dizia o Chico. Há de seguir a canção, dizia o Vandré. É isso que o povo pede de nós, dizia o poeta Tagore, uma canção...

"Quando me desespero, eu me lembro de que, durante toda a história, o caminho da verdade e do amor sempre ganhou. Têm existido tiranos e assassinos, e por um tempo eles parecem invencíveis, mas no final caem. Pense nisto, sempre" Gandhi


A Marcha do Sal ou Satyagraha do sal foi um ato de protesto contra a proibição, imposta pelos britânicos, da extração de sal na Índia colonial. Mahatma Gandhi caminhou de Sabarmati Ashram a Dandi, para pegar um pouco de sal para si. Um número muito grande de indianos o seguiu, mas os britânicos nada puderam fazer contra ele, pois não havia incitado os outros a seguirem-no. A marcha ocorreu de 12 de março até 6 de abril de 1930.

Juliano Fabricio
aprendendo...

0 Comentários - AQUI:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comentem pelo Facebook

Paninho do AMOR

Click e Confiram D+

Segue ai...

Curta no Facebook

Amigos do Blog

Postagens populares

Twittes

Google+ Followers

Blog que escrevo

Pesquisar este blog

Siga-me por Email

Marcadores

@provérbios (27) #pronto falei (303) #Provocações (283) #Word (55) Administração (58) Amor (295) Arte (270) Atitude (559) Bíblia (99) Boas notícias (118) Contra Cultura (164) cristianismo inteligente (546) Curiosidade (106) Dicas (49) Estudo (83) Familia (74) Fundamentos (313) GRAÇA (140) humor (87) Igreja (144) imagem que vale post (33) Juventude (61) Livros (17) Masculinidade (41) Missão integral (103) modelos (171) Nooma (8) Opinião (313) Oração (38) Polêmica (94) Politica (53) Protesto (138) Questionamentos (491) Recomendo (131) Relacionamento (285) relevante (335) Religião (69) Solidariedade (58) Teologia (169) Videos (386)

Blog Arquivos

Minha lista de blogs

Juliano Fabricio Ferreira. Tecnologia do Blogger.

Visão Mundial - Conheça

Visitantes

Contato:

Juliano Fabricio Ferreira

jucafe2@yahoo.com.br

Uberlândia - MG - 34 99149-5443

Networkedblogs - Siga

Recomendações