A questão é simples: 
Por que tratar de meus próprios erros, quando posso enfocar os erros alheios? 

Eis o nosso lado acusador...
Eu posso ser mau, mas desde que consiga encontrar alguém pior, estou salvo.

Alimentamos e exaltamos nossa pouco bondade com as faltas dos outros. Se auto indica como o queridinho do professor na escola primária. Tagarela sobre o trabalho malfeito dos outros, esquecendo-se do zero em sua própria folha. Ele é o cão de guarda da vizinhança, mandando as pessoas porem em ordem as suas vidas, mas nunca notando o lixo em sua própria calçada. 

“Venha, Deus, deixe-me mostrar-lhe as más ações de meu vizinho” — convida o moralista.
Deus, porém, não o segue até o vale. 

“Portanto, és inescusável quando julgas, ó homem, quem quer que sejas, porque te condenas a ti mesmo naquilo em que julgas a outro; pois tu que julgas, fazes o mesmo” (Rm 2.1)
Esse é um golpe baixo, e Deus não cairá nele.

Se você “acha que pode julgar os outros” (Rm 2.1), Paulo tem um duro lembrete a você. 

Não lhe cabe a função de segurar o martelo. 

“E bem sabemos que o juízo de Deus é segundo a verdade sobre os que tais coisas fazem” (v.2).

Como escreveu John Stott: “Este (versículo) não é uma intimação a suspender nosso senso crítico, ou renunciar toda censura e reprovação a outros, como algo ilegítimo. É, antes, a proibição de nos levantarmos em julgamento à outra pessoa e condená-la (como seres humanos, não temos o direito de fazê-lo), especialmente quando falhamos em julgar a nós mesmos. ” 

Cabe a nós odiar o pecado. Mas tratar com o pecador é tarefa de Deus. 

Ele convocou-nos a desprezar o mal; porém jamais ordenou que desprezássemos o malfeitor. 

Contudo, oh, como gostaríamos de fazê-lo! Existe algo mais deleitável que julgar os outros? O que daria mais satisfação que vestir a toga, sentar-se atrás da mesa, fazer soar o martelo e declarar: “Culpado!”? 

Além de que, julgar os outros é um modo fácil e rápido de sentir-nos bem com nós mesmos. 

Juliano Fabricio
Lembrete:
Razão 1: Não Somos Bons o Bastante
Razão 2: Não Sabemos o Bastante

*Abaixo deixo uma sugestão para quem ainda insiste em julgar:


0 Comentários - AQUI:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comentem pelo Facebook

Paninho do AMOR

Click e Confiram D+

Segue ai...

Curta no Facebook

Amigos do Blog

Postagens populares

Twittes

Google+ Followers

Blog que escrevo

Pesquisar este blog

Siga-me por Email

Marcadores

@provérbios (27) #pronto falei (304) #Provocações (283) #Word (55) Administração (58) Amor (296) Arte (270) Atitude (561) Bíblia (99) Boas notícias (118) Contra Cultura (165) cristianismo inteligente (546) Curiosidade (106) Dicas (49) Estudo (83) Familia (74) Fundamentos (313) GRAÇA (140) humor (87) Igreja (144) imagem que vale post (33) Juventude (61) Livros (17) Masculinidade (41) Missão integral (103) modelos (171) Nooma (8) Opinião (313) Oração (38) Polêmica (94) Politica (53) Protesto (138) Questionamentos (492) Recomendo (131) Relacionamento (285) relevante (335) Religião (69) Solidariedade (58) Teologia (169) Videos (386)

Blog Arquivos

Minha lista de blogs

Juliano Fabricio Ferreira. Tecnologia do Blogger.

Visão Mundial - Conheça

Visitantes

Contato:

Juliano Fabricio Ferreira

jucafe2@yahoo.com.br

Uberlândia - MG - 34 99149-5443

Networkedblogs - Siga

Recomendações